Entrevista com o coordenador do Ensino Médio



André Ferraz Leite, coordenador do Ensino Médio no Colégio Poliedro São José dos Campos

Em São José dos Campos, o Colégio Poliedro oferece o Ensino Fundamental II e o Ensino Médio, ambos reconhecidos pela alta qualidade no ensino. Mas existem diferenças quanto à metodologia utilizada, visto que o processo de aprendizagem é diferente em cada fase de desenvolvimento.

Sendo assim, qual seria o método utilizado no Ensino Médio? Para responder a essa e outras perguntas, como a questão da reforma proposta pelo governo, um dos assuntos mais discutidos do momento, entrevistamos o diretor de ensino e coordenador do Ensino Médio no Colégio Poliedro São José do Campos, André Leite. Leia a seguir.

Qual é a metodologia do Poliedro para o Ensino Médio?

Nossa proposta pedagógica contempla uma escola que propicie um caminho de sucesso na vida acadêmica, profissional e pessoal de cada aluno. As aulas tradicionais e expositivas ainda são importantes por conta do atual modelo de vestibular, porém, nossa metodologia permite que os professores apresentem os conteúdos de forma mais dinâmica para que os alunos façam as conexões com a realidade.

Valorizamos e estimulamos o desenvolvimento de habilidades que vão além dos vestibulares, ao mesmo tempo em que garantimos um ensino de alta qualidade para que o aluno ingresse em uma boa faculdade após o término do Ensino Médio.

Temos um corpo docente excelente, com professores que possuem grande qualidade de comunicação, visto que o aluno precisa ser conquistado.

Existe algum requisito para o aluno que quer estudar no Poliedro?

Não são cobrados pré-requisitos, mas o perfil esperado para um aluno do Ensino Médio é de um estudante que quer se dedicar para aproveitar bastante esse curto período de preparação, sem deixar de lado as atividades que desenvolve fora da escola.

Valorizamos a organização e a disciplina, pois sabemos que isso é importante não só para os vestibulares, mas também para todos os desafios que a vida vai trazer, seja na vida acadêmica, profissional ou pessoal. Por isso temos muitas ferramentas para apoiar o aluno nesse sentido.

Conversamos muito com os pais e alunos antes da matrícula, a fim de informá-los sobre todos os detalhes do funcionamento da escola e esclarecer dúvidas.

É possível desenvolver os lados acadêmico e humano ao mesmo tempo?

Sim, é possível. A escola é muito dinâmica, mas não perdemos de vista a preocupação com a formação integral de cada um. Hoje, temos muitas possibilidades de apresentar ao aluno situações que o conduzem a um verdadeiro pensar. Criamos atividades pedagógicas que exigem o desenvolvimento de habilidades em diversas dimensões, como a sócio interacionista, para que os alunos trabalhem em grupos na resolução de problemas. Na escola, nossos alunos encontram um ambiente de desenvolvimento que vai além do simples aprendizado.

O que é, afinal, o projeto de reforma do Ensino Médio? Qual a sua opinião sobre essa proposta?

A reforma me parece ousada em muitos aspectos. A grande polêmica está na maneira como ela foi apresentada. Tratando-se de educação, a discussão deveria se estender por mais tempo e envolver mais os que realmente serão afetados, ou seja, professores e alunos. É fato que passou da hora de se trazer os modelos da Educação Básica para uma reflexão; nisso, a reforma trouxe vantagens. Hoje, é o assunto do momento – no entanto, a falta de informações claras associada ao despreparo na formação de professores faz com que a insegurança e a especulação se tornem prioridades em detrimento das propostas que realmente serão benéficas.

O grande exemplo de benefício está voltado para a flexibilização do currículo, que permite que os alunos possam cumprir a base obrigatória e concentrar as demais disciplinas de acordo com suas aptidões e escolhas profissionais. Por outro lado, fora dos grandes centros e também para as escolas menores, os riscos de se descontruir a educação brasileira são grandes.

Também não podemos deixar de lado o modelo de seleção para universidade, o temido vestibular. Sendo uma prova formatada e excludente, em razão da baixa quantidade de vagas nas universidades públicas, é pouco provável que a reforma do ensino médio seja coerente com este formato de prova, e isso faz com que estas mudanças se estendam por muitos anos.

Quais as principais diferenças entre o novo ensino médio e o anterior?

As principais diferenças estão no currículo e no formato de organização. A proposta visa uma redução nos conteúdos específicos dentro de algumas disciplinas, fazendo com que o aluno encontre na proposta curricular um significado para seu aprendizado e a aplicabilidade deste na resolução de problemas. A ideia é tornar o ensino mais atrativo e dar possibilidades para que o aluno permaneça mais tempo na escola, com mais qualidade.

O que mudaria no Ensino Médio do Colégio Poliedro?

O Poliedro tem um quadro de profissionais bem capacitados e uma estrutura para se adaptar a muitas mudanças. Vejo que a principal delas estaria associada à forma de distribuição das disciplinas. Porém, para se falar em mudanças, precisamos aguardar a Base Nacional Comum Curricular e algumas definições do MEC. Até lá, tudo não passará de especulações. Dessa forma, é preciso acompanhar as propostas e estar atento aos prazos quando estes forem lançados. Acredito que não teremos grandes mudanças antes de 2020.

Quando o assunto é a escolha do curso superior, você percebe alguma preferência ou tendência entre os alunos do Poliedro?

Atualmente, o Poliedro apresenta um grupo de alunos extremamente diversificado quanto às suas aptidões e bem distribuído entre as áreas do conhecimento. O fato é que os alunos procuram o Poliedro em função de sua organização e da possibilidade de se preparar para os vestibulares mais concorridos do país, independentemente da área que pretendem seguir.

Quais as suas expectativas para o próximo ano?

As melhores possíveis. Estamos com expectativas muito boas em relação à experimentação de metodologias que intensifiquem o protagonismo do aluno e sua coparticipação nos processos de ensino-aprendizagem. Para isso, buscaremos parcerias e propostas que aproximem cada vez mais alunos e professores com o objetivo de proporcionar um caminho de sucesso na vida acadêmica, profissional e pessoal de cada um.