Notícias

São José dos Campos recebe estudantes de todas as regiões do Brasil

O Colégio Poliedro recebeu, neste ano, 156 alunos de 22 estados que buscavam ensino de qualidade

 

Alunos vieram de Pernambuco para o Colégio Poliedro SJC

Estudar em uma excelente escola para conquistar a aprovação em uma boa universidade é um sonho que requer, muitas vezes, a superação de obstáculos, incluindo até mesmo a mudança de cidade ou estado. Saudade, receio, liberdade e superação tornam-se palavras, sensações e sentimentos comuns no dia a dia daqueles que estão longe de casa. Mais de 150 alunos, vindos de 22 estados, resolveram enfrentar a distância do lar para estudar no Colégio Poliedro de São José dos Campos (SP).

A excelência no ensino, a infraestrutura e o ambiente acolhedor para todos os perfis de alunos são alguns dos diferenciais que atraíram os estudantes para a escola. A equipe de Orientação Educacional do Poliedro contribui para uma adaptação rápida e tranquila para os novos estudantes e suas famílias.

O estudante Fernando Martins Santos Souto, 15 anos, entende bem a importância desse suporte. Ele saiu de Anápolis (GO) para estudar em São José dos Campos (SP). A maior dificuldade no período de adaptação foi a saudade da família. “Sem dúvida, a distância foi o mais difícil. Por isso, o modo como fui acolhido pela orientadora foi fundamental. Já no primeiro dia ela foi muito atenciosa, o que me passou segurança”.

A coordenadora pedagógica do Ensino Médio, Andrea Godinho de Carvalho Lauro, também destaca a importância desse trabalho. “Temos uma equipe pedagógica que engaja e motiva os alunos a gerenciar seu tempo e conquistar seus objetivos, sempre oferecendo suporte emocional nessa fase inquieta, de muitas escolhas e desafios”.

Andrea explica que a confiança depositada pelos pais e estudantes no trabalho e nos resultados da escola faz toda a diferença. “A aprendizagem significativa por meio da dedicação e do compromisso da escola com a formação de cada aluno demonstra, na prática, o resultado de uma proposta educacional bem-sucedida em muitos aspectos”, afirma.

 

Alunos de Rondônia

É importante que algumas ações sejam realizadas no início para que esses alunos se sintam acolhidos desde o primeiro dia de aula. “Logo no início do ano, as orientadoras educacionais chamam grupos de alunos novos para conversar e priorizam a reunião com aqueles estão vindo de outras cidades. Elas reúnem pequenos grupos nesse primeiro momento para que eles sintam a sensação de não estarem sozinhos, de que outros também estão enfrentando esse desafio, e nesta primeira reunião alguns vínculos já começam a ser formados”, explica Beatriz Marcon, coordenadora de Orientação Educacional do Colégio Poliedro.

Algo em comum entre os estudantes que mudaram de cidade é o protagonismo nesse processo e o apreço pelas novas oportunidades e desafios do dia a dia escolar. Prova disso é que a maioria deles demonstra bom desenvolvimento acadêmico e desempenho acima da média.

“Eles gostam muito da estrutura da escola, consideram as aulas muitos boas e se envolvem muito com os projetos. Eles sabem que estão sendo bem preparados e tudo isso ajuda muito“, explica a coordenadora Beatriz. “A maioria dos alunos vieram para cá porque eles mesmos pesquisaram sobre o colégio para conversar com os pais. Eles quiseram vir, e isso é ótimo, até porque a imposição nunca funciona bem. Quando os pais forçam essa mudança, não funciona”, completa.

“O desenvolvimento de autonomia para resolver as coisas não é fácil no início. É realmente sair da zona de conforto. Mas, desde o primeiro dia, estou tendo muitas oportunidades, e esse é o grande benefício para mim. Ao entrar aqui, percebi o mundo além do que eu vivia, e vi que poderia alcançar meus sonhos e que posso ter muitas opções”, comenta Alícia Marques dos Santos, 16 anos, que veio de São Paulo e está na 2ª série do Ensino Médio do Colégio Poliedro.

Alunos de Mato Grosso